Starfield terá que ser mais jogado que Skyrim mesmo que não esteja no PlayStation, para Phil Spencer


Starfield tem uma grande responsabilidade em seus ombros: o jogo assinado pela Bethesda Game Studios é a primeira incursão da equipe de Todd Howard longe dos portos seguros de The Elder Scrolls e Fallout, que são franquias capazes de se vender.

Entrevistado nas páginas da Axios, via VCG, o executivo da Microsoft Gaming à frente da Xbox sublinhou o conceito de capilaridade em que a Xbox aposta fortemente: através do Xbox Game Pass e através da cloud, aliás, na ideia da Redmond. Os jogos devem estar em toda parte.

Então, em todos os lugares, que a intenção é tornar Starfield ainda mais jogado do que Skyrim, apesar de não ser lançado nas plataformas PlayStation.

Nas palavras de Spencer:

“Adoro os números de Forza 5 e Halo , adoro o número de pessoas que jogaram Psychonauts 2 em comparação com o primeiro. Quando olho para as equipes, quando estou com Todd [Howard] e falamos sobre Starfield, dizemos a nós mesmos: ‘como podemos fazer deste o jogo mais jogado de Todd Howard de todos os tempos?”

A maneira de fazer isso, segundo o raciocínio de Spencer, está justamente no fato de que Starfield estará acessível desde o primeiro dia no Xbox Game Pass.

“Esses são os jogos mais jogados dessas franquias”, explicou o executivo, “porque os disponibilizamos em mais telas do que nunca, por meio de mais modelos de negócios do que já oferecemos no passado”.

Desde seu lançamento em 2011, The Elder Scrolls V: Skyrim conseguiu reunir mais de 30 milhões de cópias vendidas, com um modelo de negócio que se baseava, no entanto, apenas na compra do exemplar único.

Starfield será capaz de alcançar ainda mais pessoas? Mesmo sem o Playstation na conta?