Três magnatas são acusados de “informação privilegiada” na aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft


De acordo com o Wall Street Journal, três ricos empresários, Barry Diller, um dos fundadores da Fox, Alexander von Fürstenberg e o magnata da música David Geffen, estão sob duas investigações federais separadas por suspeita de insider trading. Eles teriam comprado uma grande quantidade de ações da Activision Blizzard pouco antes do anúncio da aquisição pela Microsoft, o que naturalmente aumentou seu valor significativamente.

No total, o trio teria comprado ações por um valor total de 108 milhões de dólares, poucos dias antes do anúncio do negócio. Imediatamente depois, seu valor cresceu enormemente para US$ 168 milhões, com lucros de US$ 60 milhões para o trio.

O momento e o valor gasto, além da relação de um dos três com a Activision Blizzard, geraram mais do que algumas suspeitas. Como resultado, o Departamento de Justiça dos EUA lançou uma investigação sobre a violação da lei de informações privilegiadas, seguida pela Securities and Exchange Commission, que por sua vez iniciou uma investigação civil sobre o mesmo delito.

Dos três, a figura mais relevante no caso é a de Barry Diller, que atuou no conselho de administração da Coca-Cola junto com Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard, até a recente saída deste último devido a essas investigações, bem como aquelas por não terem vigiado os abusos sexuais cometidos na Activision Blizzar. Os dois não eram apenas colegas, já que Diller chamou Kotick de “amigo de longa data”.

Diller também é amigo íntimo de Geffen e é casado com a mãe de von Furstenberg. Isso deve esclarecer por que as investigações da SEC e do Departamento de Justiça começaram.

Falando ao Wall Street Journal, Diller chamou a compra de ações de uma simples aposta de sorte e negou ter qualquer informação prévia. Em suma, segundo ele seria uma mera coincidência. Alexander von Fürstenberg afirmou que comprou as ações porque sentiu que mais cedo ou mais tarde a Activision Blizzard seria adquirida.

 

Fonte